O que estou pensando sobre política...

Os reis e imperadores no passado davam "circo e pão" para os pobres para acalmar o rebanho. Como não estava dando certo passaram a dar também estudo, depois saúde, e todos os demais itens do conjunto que geraram o "populismo" para amansar o gado. Ou seja o Estado assumiu tudo e agora nós queremos que ele continue nos dando tudo e um pouco mais: Bolsa Pra Minha Coitada Família, Minha Casa na Minha Nada Mole Vida, Universidade Pra Dizer Que Sei Ler, Unidades de Segurança e "Paz Policial", Sistema Único de Saudade da Saúde e agora, novamente (circo) Parque Pra Quem Tá Maduro...

São males que se tornaram necessários em especial nas mega-cidades que se não tiverem a "proteção" do Estado, verão seus pobres definharem (e sempre vemos), tudo devido ao processo de competição e disputa dos seres humanos que geraram o consumismo desvairado, despertando  cada vez mais a sensação de algo está errado na nossa vida e a culpa é dos governantes.

Por isso aparece vez por outra um "salvador da pátria" que quando eleito, nos decepciona, até porque, não dá mais pra acreditar que o sistema vai mudar assim, da água pro vinho, ainda mais quando o "meio" está infestado de homens e mulheres corruptos e corruptores que cercam os "eleitos", mesmo os "mais" éticos.  

A solução está ficando cada vez mais individualista (idiotizada), eu cuido do meu e você do seu (de acordo com o conceito da Ditadura: "cada macaco no seu galho", para manter a diferença entre pobres e ricos), quando deveria ser cada vez mais altruísta, eu cuido do  meu e ajudo você a cuidar do seu, assim como você do meu. Se tenho dois pães agradeço a Deus pelo "pão nosso de cada dia" e dou um (antes que ele estrague) pra quem fez a mesma oração de petição mais ainda não o recebeu.

É a máxima do Reformador Protestante que deve valer entre nós: ganhe mais, economize mais, ajude mais. Vejo uma melhor solução por esse caminho com uma postura de devoção e submissão a Deus que nos ama e alimenta. Vamos nós também amar e alimentar nossos irmãos e irmãs da raça humana que têm fome, nosso próximo, sem aguardar do Estado o que cabe primeiramente a nós: justiça do Reino, sociedade e socialização (se preferir, socialismo ou como prefiro, solidariedade), misericórdia, graça, bondade, verdade, honestidade, humildade, socorro, intercessão pela intervenção do Alto (é claro, primeiro no meu coração). É isso e algo mais...  Ezequiel 22.29, 30 (nesse texto o povo sou eu e o homem da brecha também deveria ser).    #prontofalei

Nenhum comentário: